Abrace o Conjunto Palmeira

“Abrace o Conjunto Palmeira” é uma campanha permanente em defesa do Conjunto Palmeira. A cada momento a campanha abraça uma solução para um problema estruturante do bairro. Desta feita abraçamos a causa do Esgotamento Sanitário.

 

O problema

 

O Conjunto Palmeira enfrenta uma grave crise ambiental e de saúde pública. Há mais de dez anos Milhares de residências estão com esgoto estourado dentro de casa ou escorrendo a  céu aberto,  indo  tudo direto para o  rio Cocó, através do canal de drenagem. Já houveram vars reuniões com o poder público, assembleias na comunidade, plenárias populares e  05 audiências públicas sobre este problema.  A CAGECE já elaborou o projeto técnico para realização da obra de reconstrução do esgoto do bairro,  no valor de R$ 40 milhões.

 

 

Contexto


O Conjunto Palmeira é o bairro com menor IDH de Fortaleza (IBGE 2010/ Prefeitura de Fortaleza 2014). Justificado, quando se olha para a divida social que a Prefeitura tem com seus 40 mil moradores, oriundos de despejos da orla marítima na década de 70 e jogados nessa região, pelo poder municipal, sem nenhuma infraestrutura urbana. O bairro se autoconstruiu nas décadas de 80 e 90, em regime de mutirão comunitário, o que possibilitou a conquista de outros serviços públicos. 44 anos depois, o Palmeira passa hoje por um processo de Regularização Fundiária de todas as casas.  Duas grandes intervenções estão acontecendo no bairro, embora não sejam diretamente  direcionadas a melhorias na comunidade: a conclusão das obras do construção da Barragem do Rio Cocó e a duplicação da adutora do Ancuri. Somadas, chegam ao valor de 140 milhões de reais. No último 17/11 a Prefeitura de Fortaleza + Governo do Estado lançaram o Programa “Juntos Por Fortaleza” que totalizam 2 bilhões de reais em obras e investimentos em nossa capital.

 

A Solução

 

A comunidade solicita ao Prefeito de Fortaleza e ao Governador do Estado que incluam a mudança do  Esgotamento Sanitário do Conjunto Palmeira nas obras  do Programa “Juntos por Fortaleza”; considerando: a) a gravidade do problema; b) ser o Conjunto Palmeira o bairro mais pobre de Fortaleza e estar em processo de Regularização Fundiária o que aumenta o risco de gentrificação (venda das casas); c) ter um  projeto técnico pronto; d) Podemos realizar a obra em parceria com a Cooperativa de Gestão Ambiental do bairro (PalmasCoop) o que reduziria os custos em 15% e  geraria dezenas de postos de trabalho na comunidade.

 

Programação

07/12 – Reunião com deputados na Assembléia

13/12 – Ato na Praça do conjunto Palmeira. Entrega de abaixo assinado para Defensora Publica do Estado.

- Reunião com o governador em data a ser confirmada

- 25/01/2018 – Paralização do canteiro de obra da duplicação da adutora.