Banco da Cultura


Banco Da Cultura -RIO

 

Em 2016 a Rede Brasileira de Bancos Comunitários criou a Plataforma Digital E-dinheiro. Legalmente, é uma fintech  solidária que funciona como meio de pagamento digital, tem registro no Banco Central e atual em todo território nacional, sob a responsabilidade jurídica do Instituto Periferia.

A Plataforma E-dinheiro opera través de um aplicativo de celular, podendo ainda ser usado cartão ou internet banking. Oferece uma serie de serviços como transferência entre contas, pagamento de boletos e faturas, recarga no celular, pagamento de contas salários e compras no comercio local.

Qualquer consumidor pode se cadastrar na plataforma baixando o aplicativo e-dinheiro nas lojas virtuais. Qualquer empresário pode se cadastrar para receber e-dinheiro como meio de pagamento por suas vendas ou prestação de serviço.

Quando uma compra é feita em E-dinheiro, o pagamento é a vista, descontando 2% do dono da loja. O Lojista pode transferir seu saldo (via aplicativo) para sua conta bancária em qualquer banco comercial do pais.

A plataforma é dinheiro criou um modelo e negócio que permite que associações de moradores, movimentos sociais, movimentos culturais, igrejas ou qualquer outro tipo de organização possa criar um banco digital solidário dentro da Plataforma, e fazer a auto-gestão de seu próprio banco.

Para ciar um banco digital solidário no E-dinheiro basta entrar em contato com o Instituto Periferia, que oferece a capacitação técnica e disponibiliza a Plataforma digital. Hoje no Brasil já existem 57  bancos digitais solidários em funcionamento. O Banco da Cultura é um deles.

No Rio de janeiro um coletivo de artistas locais, organizados pelos Anônimos /anjos do Picadeiro organizaram o Banco da Cultura dentro da Plataforma E-dinheiro

O Instituo Periferia fez a capacitação dos gestores do Banco e está no evento Anjos do Picadeiro (Encontro Nacional de Palhaços) ajudando abrir as primeiras “contas correntes” e cadastrando os primeiros comércios.

Qualquer pessoa, artistas ou amantes da arte, pode abrir uma conta no Banco da Cultura, baixando o aplicativo ou comparecendo a sede do Banco (Benjamin Constant, 120, Gloria).

Toda vez que alguém comprar num comércio credenciado usando o aplicativo (ou cartão) do Banco da Cultura, 2% da taxa vai para o Banco da Cultura.

Dessa forma quando mais gente abrir sua conta no Banco da cultura, quanto mais comércios se credenciarem, quanto mais pessoas comprarem usando a Plataforma do Banco da Cultura  (aplicativo, cartão ou internet bank), mais recursos o Banco da Cultura vai ter para reinvestir nos trabalhadores da cultura e suas atividades culturais.

 

Informações:

Instituto Periferia (85)98724-2386 / (85)98724-2389       www.edineiro.net.br

Banco da Cultura: fundodacultura@gamil.com – (21) 98852-4704