Projetos

COZINHA D’ELAS

Este projeto conta com o apoio da Brasil Fundachion 2015-2016 e objetiva apoiar a cozinha comunitária D’ELAS, formada por um coletivo de mulheres do Bolsa Família em três

AÇÃO 1: Reforma predial da Associação Emancipadas e da cozinha D’ELAS.

AÇÃO 2: Compra de equipamentos para cozinha D’ELAS.

AÇÃO 3: Formação profissional, comunicação, melhoria na gestão da cozinha D’ELAS.

OBSERVAÇÃO

A cozinha D’ELAS consiste em um pequeno restaurante comunitário, sediado no Conjunto Palmeira, formado por um coletivo de sete mulheres integrante do Projeto ELAS, formado por mulheres do Bolsa Família. Este projeto tem apoio do Banco da Periferia e abrange 3.600 mulheres.

Instituto Periferia
Instituto Periferia

PROJETO ELAS EMANCIPADAS

Esse projeto tem o apoio da ONG Francesa Comitê Católico Contra a Fome (CCFD), no período de 2013 a 2016. Objetiva O fortalecimento e expansão da Associação Emancipadas formadas por mulheres do Bolsa Família na periferia de Fortaleza/CE e contém quatro ações:

AÇÃO 1: Fortalecimento da Associação Emancipadas, aumentando suas capacidades de organização interna, legalização e formulação de propostas/projetos junto ao poder público, empresas e sociedade civil.

AÇÃO 2: Mobilização da Associação Emancipadas junto ao público alvo (aumentando o número de associadas) e criação de núcleos em outros municípios e outros Estados do Brasil.

AÇÃO 3: Oferta de Educação Profissional para mulheres do Programa Bolsa Família, especificamente nas áreas de costura, culinária e ecobags.

AÇÃO 4: Oficinas de formação em Economia Solidária, associativismo e gênero.

OBSERVAÇÃO

A Associação Emancipadas tem sua sede no Conjunto Palmeira, sendo formada por mulheres do Programa Social Bolsa Família. Anteriormente, essas mulheres compunham o projeto ELAS fomentado pelo Banco Palmas, cujo objetivo era a inclusão socioprodutiva de mulheres do Bolsa Família. A partir de 2014 as próprias mulheres do Projeto ELAS se juntaram e criaram à Associação Emancipadas. Atualmente a Associação tem núcleos em Fortaleza/CE, Belém-PA (Mosqueiro/Bahia do Sol) e no município de Caucaia/CE.

PALMAS SEGURO FUNERAL

Este projeto se dar em parceria com a Mapfre Seguradora. Em sucessivas reuniões entre técnicos do Instituto Palmas e da Mapfre Seguradora customizou-se um produto para os moradores do Conjunto Palmeiras chamado de PALMAS SEGURO FUNERAL o mesmo consiste numa oferta de serviços funerais para a população do bairro a preços bem populares. Para além da mera cerimônia funeral o seguro garante aos seus beneficiários apoio psicológico, translado e jazigo. O Palmas Seguro Funeral é adaptado para os diversos tipos de público variando os preços da apólice entre R$10,00 (dez reais) a R$60,00 (sessenta reais) anual.

Para maior segurança, agilidade e escala na venda dos Seguros, o aplicativo E-dinheiro foi customizado para vendas do Palmas Seguro Funeral. Dessa forma, qualquer morador do bairro pode comprar o Seguro sem sair de casa, utilizando apenas o aplicativo, como meio de pagamento.

O Palmas Seguro Funeral é vendido na sede do Banco Palmas ou através do aplicativo E-dinheiro. Podem ser segurados qualquer pessoa com idade de 14 a 65 anos de idade.

A próxima etapa desse projeto será a criação do Salão de Velório que será no Conjunto Palmeira, possibilitando mais este serviço de qualidade aos segurados.

Instituto Periferia
Instituto Periferia

PALMASNET

PalmasNet consiste em um provedor de internet comunitário criado pelo bancoPalmas com o apoio do Instituto Periferia e a Seguradora Mapfre além de outros parceiros relacionados ao final dessa página.

Em maio de 2013 o Banco Palmas1 criou o Laboratório de Inovações e Pesquisas em Economia Solidária (PALMASLAB) para implantar, junto com a comunidade do Conjunto Palmeiras uma série de ferramentas de TI que aperfeiçoasse os serviços financeiros e bancários oferecidos à população do bairro bem como encontrar caminhos para assegurar serviços de internet de qualidade e a preços baixos para a população do Conjunto Palmeiras e adjacências.

A PalmasNet surge da compreensão de que a conectividade à internet é cada vez mais importante na vida das pessoas. Assim como o letramento foi um dos grandes desafios do século XX, a participação na grande esfera pública global, que é a internet, é um dos grandes, se não o maior, desafio desse início do século XXI.

Nesse sentido que, em 2011, a Organização das Nações Unidas declarou a internet como um direito humano2, e que agora, em 2016, o Conjunto Palmeira coloca em prática um projeto que busca garantir esse direito para todos os moradores do bairro. Dessa forma, estaremos dando uma oportunidade para que o Conjunto Palmeira, bairro com os piores indicadores educacionais,3 possa dar um salto e pular do analfabetismo direto para o letramento digital.

Para isso, o PalmasLab tem trabalhado na construção de um modelo inovador de provimento comunitário de internet, que pretende levar o backbone4 de fibra ótica até o bairro e dessa forma disponibilizar a melhor internet da cidade para a população do bairro.

Ao contrário de outras iniciativas, que procuram resolver o problema dos "desconectados" com tecnologias de "baixo custo" que, consequentemente, tem baixa capacidade/qualidade, nosso desafio é levar a conexão de melhor qualidade por um preço justo e acessível.